Como o Big Data está revolucionando a Gestão da Cadeia de Abastecimento

Uma pesquisa da SCM World, instituição formada por profissionais das cadeias de suprimentos mais influentes do mundo, mostra que 64% dos executivos da área consideram o Big Data (um grande conjunto de dados armazenados) uma tecnologia disruptiva e importante porque estabelece as bases para o gerenciamento de mudanças de longo prazo em suas organizações.

“Big Data e análises avançadas estão sendo integradas muito rapidamente às ferramentas de otimização, previsão de demanda, planejamento de negócios integrado e colaboração com fornecedores e análise de risco”, diz Louis Columbus, diretor da Cloud Computing, autor de uma lista indicando de que maneira o Big Data está revolucionando a Supply Chain Management.

E não é para menos. Afinal, a incorporação de grandes análises de dados (Big Data) leva a uma melhoria de 4,25 vezes no ciclo das operações e uma melhoria de 2,6 vezes na eficiência da cadeia de suprimentos das empresas, segundo o executivo ao interpretar os resultados da tal pesquisa.

Veja a seguir alguns exemplos de como o Big Data está revolucionando a Gestão da Cadeia de Abastecimento, segundo Louis Columbus:

 

1 – A escala, escopo e profundidade das cadeias de fornecimento de dados estão hoje gerando e fornecendo amplos conjuntos de dados para conduzir a inteligência contextual (capacidade de discernir as tendências em face da complexidade). Os fabricantes com visão de futuro estão olhando a Big Data como um catalisador para uma maior colaboração.

 

2 – A Big Data está revolucionando como as redes de fornecedores se formam, crescem, se proliferam em novos mercados e amadurecem ao longo do tempo. E transações não são o único objetivo. A criação de redes de compartilhamento de conhecimento é feita com base nas ideias obtidas a partir de grandes dados de análise.

 

3 – As análises avançadas estão sendo integradas muito rapidamente às ferramentas de otimização, previsão de demanda, planejamento de negócios integrado e colaboração com fornecedores e análise de risco. Análise e visualização da torre de controle também estão nos roteiros das equipes da cadeia de suprimentos, que atualmente executam grandes pilotos de dados.

 

4 – O geoanalytics com base em Big Data é usado para mesclar e otimizar redes de entrega. O Boston Consulting Group fornece informações sobre como os dados estão sendo usados no gerenciamento da cadeia de suprimentos. Um dos exemplos fornecidos é como a fusão de duas redes de distribuição foi orquestrada e otimizada usando geoanalytics.

 

5 – Um estudo de megatrends das operações globais da Accenture mostrou que as companhias estão alcançando resultados significativos usando a análise do Big Data para melhorar seu desempenho e ampliar a inteligência contextual.

 

6 – Maior inteligência contextual nas táticas, estratégias e operações da cadeia de suprimentos estão influenciando os objetivos financeiros.

 

7 – Rastreabilidades e recuperações são, por natureza, intensivas em dados, tornando a contribuição dos grandes dados potencialmente significativa. A Big Data tem o potencial de proporcionar um melhor desempenho de rastreabilidade e reduzir os milhares de horas perdidas apenas tentando acessar, integrar e gerenciar bancos de dados de produtos que fornecem dados sobre onde os produtos estão.

 

8 – Permite aumentar a qualidade do fornecedor, facilitando desde a auditoria até a inspeção de entrada e montagem final com grandes dados. A IBM desenvolveu um sistema de alerta rápido de qualidade que detecta e define uma estrutura de priorização capaz de isolar problemas de qualidade mais rapidamente do que os métodos mais tradicionais, incluindo o Controle Estatístico de Processos (SPC).

 

Fonte:

https://www.forbes.com/sites/louiscolumbus/2015/07/13/ten-ways-big-data-is-revolutionizing-supply-chain-management/#64002f4069f5